Carregando...

Aluno de engenharia da faculdade ESAMC Sorocaba cria detector de excesso de altura para solucionar problemas com pontilhões

Aluno de engenharia da faculdade ESAMC Sorocaba cria detector de excesso de altura para solucionar problemas com pontilhões

Cansado de problemas no trânsito por conta de problemas com pontilhões, o sorocabano e inventor, Leandro Piovesan Batista, estudante de engenharia mecânica na faculdade ESAMC Sorocaba, decidiu desenvolver uma ação pioneira: criar um equipamento capaz dedetectar e alertar sobre o excesso de altura permitida. Este e outros projetos são desenvolvidos no Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS), no laboratório do GENS (Grupo de Estudos de Negócios Sustentáveis) da Esamc (Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação), através da empresa Le Batista.

Promovendo a sustentabilidade, o equipamento é abastecido por energia solar, além de utilizar sistema wi-fi (sem fios), de forma que não sejam necessárias mudanças na infraestrutura do local para a instalação. Isso permite que o produto seja implantado em diversos locais, como túneis, praças de pedágios, pontes, viadutos, passarelas, entre outros.

Dessa forma, quando um caminhão ou um ônibus com mais de 4,30 metros passa pelo local que possui o equipamento, os sensores instalados na via detectam o excesso de altura, acionando automaticamente uma sirene e um foco piscante. Com isso, o condutor é alertado sobre o problema e obrigado a desviar.

De acordo com Leandro, o apoio do PTS é essencial para o sucesso do projeto. “O Parque Tecnológico é um espaço muito convidativo para o desenvolvimento, pois possui uma ótima estrutura. Além disso, éum facilitador imenso para estabelecimento de vínculo com outras empresas”, afirma o inventor.

protótipo do detector de excesso de altura foi instalado pela primeira vez em 2014 na Marginal Pinheiros, em São Paulo, durante a Copa do Mundo. Em agosto de 2017, a Urbes – Trânsito e Transporte realizou a implantação do equipamento final na avenida Dom Aguirre, na pista sentido Centro, na altura da rua Porfírio Loureiro, localizada no bairro Santa Rosália.

Por dia, o aparelho detecta cerca de 9 excessos de altura, segundo Leandro Batista, que também ressaltaque desde o início do funcionamento, foi possível zerar o número de ocorrências no local sobre problemas envolvendo pontilhões. O produto é patenteado e segue agora pronto para ser comercializado.